Blog

Análise de Risco de Queimaduras nas Mãos

Recentemente, um cliente me perguntou: “A partir de que temperatura eu devo fornecer luvas aos meus trabalhadores, para que eles não queimem as mãos quando manuseiam materiais quentes?”.

 

A resposta mais simples é: a partir de 43°C.

 

Mas, de onde surgiu essa temperatura? Afinal, 43°C parece uma temperatura um tanto baixa pois, por experiência prática, podemos segurar, por alguns segundos, cabos de panelas feitos de baquelite aquecidos a cerca de 60-70°C, sem queimar as mãos.

 

Bom, a temperatura de 43°C é o limite para que não haja risco de queimaduras das mãos para a maioria das pessoas durante um período de contato muito longo, tal como 8 horas.

 

A figura a seguir (fonte: ABNT NBR 13970) ilustra a relação entre o tempo de contato (t) e a temperatura superficial (Ts) de três tipos de materiais, traçando uma linha a partir da qual ocorre a queimadura da pele, chamada “limiar de queimadura”. A área hachurada mostra como as pessoas reagem de maneiras diferentes ao contato da pele com materiais quentes, principalmente em tempos de contato inferiores a um minuto, em razão da espessura e umidade da pele, força de contato e outros motivos.

 

Como podemos observar neste gráfico, para avaliar o risco de queimadura da pele através de uma superfície aquecida, é preciso analisar três fatores:

 

– a temperatura superficial do material;

– o tipo de material;

– o tempo de contato entre a pele e o material aquecido.

 

A tabela abaixo mostra o limiar de queimadura de três grupos de materiais para alguns tempos de contato da pele.

 

Para períodos de contato maiores que um minuto e menores ou iguais a dez minutos, a temperatura superficial deve ser limitada em 48°C, independente do tipo de material.

 

Os polímeros incluem a maioria dos plásticos sólidos termofixos e materiais com propriedades térmicas similares. Para polímeros com alta condutividade térmica, a máxima temperatura superficial deve ser calculada de acordo com as equações específicas.

 

Com base em uma análise de riscos, toda a atividade em que haja contato das mãos com materiais aquecidos, onde não seja possível realizar o isolamento térmico da superfície, deve ter como medida de controle o uso de luvas de segurança aprovadas para proteção contra o calor de contato, de acordo com os requisitos da norma EN 407.

 

As luvas de segurança devem ser selecionadas de acordo com a temperatura superficial do material, conforme tabela abaixo (fonte: EN 407):

 

Esta tabela aplica-se para períodos de até 15 segundos de contato das mãos com o material aquecido. Caso o período de contato seja maior, uma análise do risco de queimadura deve ser feito caso a caso.

 

Caso haja contato com líquidos aquecidos (água ou soluções aquosas diluídas), as luvas também devem ser aprovadas contra penetração de água, de acordo com os requisitos da norma EN 420. Esta recomendação não se aplica a líquidos não aquosos ou aquosos com propriedades tóxicas, corrosivas, irritantes ou sensibilizantes.

 

Referências:

 

– ABNT NBR 13970 – Segurança de máquinas – Temperatura de superfícies acessíveis – Dados ergonômicos para estabelecer os valores limites de temperatura de superfícies aquecidas.

– EN 407 – Protective gloves against thermal risks (heat and/or fire).

– EN 420 –  Protective gloves – General requirements and test methods.